default-logo1
default-logo1
26
JUN
2018

Segurança a toda prova

Posted By :
Comments : Off

Fonte: Sindigás

Adriano Horta

O botijão de gás passa periodicamente por uma bateria de testes rigorosos para avaliar suas condições seguras de uso, a chamada requalificação. Uma das etapas desse processo, realizado em oficinas autorizadas pelo Inmetro, é a remoção completa da pintura, para melhor avaliação visual da superfície do recipiente. Há ainda dois testes, o hidrostático, que serve para verificar a resistência mecânica do botijão e o pneumático, para verificação da existência de pequenos vazamentos no corpo do recipiente e nas uniões roscadas.

Um botijão novo passa pelo primeiro processo de requalificação em até 15 anos após a data de sua fabricação. Os seguintes acontecem dentro de, no máximo, 10 anos. Outros fatores estruturais identificados visualmente nos recipientes também podem elegê-lo a uma requalificação antes desses prazos, como mossas, vincos, corrosão e sinais de incêndio.

Todas as vezes que um botijão passa por novo envase, diversos testes e avaliações são realizados nas instalações de uma distribuidora de GLP, atestando assim a segurança e a qualidade do serviço realizado, conforme normas técnicas e regulamentos do Inmetro.

No processo de envase, merece destaque a avaliação visual no início do processo, no qual os recipientes são analisados quanto à necessidade de passar pelo processo de requalificação. Importante também citar o teste de vazamento após o envase, para evitar a comercialização de um recipiente com vazamento. Tanto as oficinas para requalificação dos recipientes quanto as distribuidoras, ambas passam, em suas instalações, por criteriosas avaliações periódicas compulsórias realizadas por organismos autorizados pelo Inmetro.

Para que o consumidor tenha tranquilidade e garantias ao adquirir o botijão, algumas recomendações são importantes. A primeira é comprar sempre o botijão em uma revenda autorizada pela ANP. No ato da compra, o consumidor deve observar se o botijão está lacrado e verificar se a marca da distribuidora, que está estampada, é a mesma do lacre e do volante informativo. O botijão não deve ser instalado ou armazenado em ambiente confinado e, ao substituir o botijão, o prazo de validade (cinco anos) da mangueira e do regulador de pressão deve ser conferido. Após a substituição do botijão, antes de usar o fogão, o usuário deve fazer o teste de vazamento nas conexões do botijão, do regulador e da mangueira, usando apenas espuma de sabão.

Adriano Horta é gerente técnico do Sindigás