default-logo1
default-logo1
04
OUT
2018

GLP: um energético muito além da cozinha

Posted By :
Comments : Off

Sergio Bandeira de Mello

O GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) é um combustível de muita versatilidade. Pode ser utilizado em residências; nos setores de comércio, serviço, indústria; e no agronegócio. São vários os atributos que fazem do GLP um energético capaz de responder com eficiência a múltiplas possibilidades de uso: alto poder calorífico, instalação simples, facilidade de transporte e de armazenagem, queima limpa, alta disponibilidade de oferta e farta capilaridade logística.

Nas residências, o uso mais comum e conhecido do GLP é na cozinha. Entretanto, o produto vai muito além da cocção de alimentos. Até mesmo nesse aspecto, o GLP pode ser inovador, com o uso em churrasqueiras movidas a gás, gerando economia de 70% em relação ao custo do carvão, com baixa produção de fumaça, possibilidade de controle da chama. O energético também pode ser usado no aquecimento da água do banho, proporcionando economia de custo em relação à energia elétrica, mais segurança e conforto.

O GLP se mostra ainda uma excelente alternativa para climatização de ambientes, tanto na refrigeração quanto no aquecimento de áreas. É também uma opção viável de energia para áreas remotas, podendo ser utilizados em refrigeradores e freezers e em luminárias movidas a gás.

Há várias formas de utilização do GLP em diferentes ramos do comércio e de serviços, como lanchonetes, padarias, bares, bistrôs, restaurantes, hipermercados, shoppings e centros comerciais, academias de ginástica, clubes, escolas, hospitais, hotéis e pousadas, tinturarias e lavanderias, entre outros segmentos. Cada espaço desses pode fazer diversos empregos do gás, pois o combustível proporciona economia e segurança para uso em dezenas de equipamentos, com funções mais diversas, como aquecimento de água, secagem de roupa, aquecimento e refrigeração de ambientes, iluminação de emergência, entre várias outras, até preparo de alimentos.

Na indústria, a participação do GLP na matriz energética industrial brasileira ainda é de apenas 1%. Entretanto, em várias indústrias o GLP pode ser utilizado com eficiência. Para citar alguns exemplos, pode-se destacar a siderúrgica, que utiliza o GLP para fundição de alumínio, cobre e chumbo; a de papel e celulose, na produção de embalagem e na secagem de papel; a do vidro, onde são necessários alta precisão e controle de temperatura; e a de cerâmica, que precisa de uma queima limpa. Nas usinas de asfalto, o GLP também pode ser aplicado com economia, pois aumenta a vida útil de engrenagens importantes dessa indústria, por ser um combustível limpo.

No agronegócio, o GLP também tem se mostrado revolucionário. Pode ser empregado em equipamentos para secagem e limpeza de grãos, sem alterar suas propriedades; para controle de pragas e queima de ervas daninhas, preservando a plantação; e para a irrigação de plantações. Tem espaço importante ainda na avicultura, com a sua aplicação no aquecimento e esterilização do ambiente de criação dos animais.

Sergio Bandeira de Mello é presidente do Sindigás