default-logo1
default-logo1
08
FEV
2019

Petrobras avalia eliminar diretoria de Estratégia

Posted By :
Comments : Off

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras analisa a possibilidade de eliminar a diretoria de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão. Entre as atribuições atuais da diretoria, estão a elaboração de cenários de longo prazo e a organização do plano de negócios plurianual da estatal. Segundo o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, o assunto está sendo avaliado, mas ainda não há nenhuma decisão tomada.

“Houve uma desistência e vamos ver se mantemos a diretoria de Estratégia, ou não. Estamos analisando a questão”, afirmou Castello Branco, ao Valor. “[A diretoria de estratégia] pode ser [desfeita], ou não. Não tomei nenhuma decisão”, completou.

Indicado para o cargo, Lauro Cotta desistiu do posto no fim de janeiro, alegando motivos pessoais. Desde então, a diretoria é acumulada pelo diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Rafael Grisolia. Cotta foi diretor presidente da SHV Gás Brasil.

Cotta seria o substituto de Nelson Silva, que coordenou a elaboração do Plano de Negócios 2019-2023 da empresa, que prevê investimentos de US$ 84,1 bilhões nos próximos cinco anos.

A Petrobras possui atualmente sete diretorias executivas, além da presidência. Apenas dois nomes da gestão anterior permaneceram. Além de Grisolia, continua no cargo Rafael Mendes Gomes, diretor de Governança e Conformidade.

Com relação à nova composição do conselho de administração da companhia, Castello Branco destacou a formação e as características diferentes dos integrantes. “[O conselho] passou por algumas mudanças e acho que a formação é muito boa. É um time muito bom, de pessoas muito bem qualificadas e com visão de negócio, com visão estratégica”, afirmou o executivo, acrescentando que há um entrosamento entre os integrantes. “É como um time de futebol. Você tem pessoas com características necessariamente diferentes, com visões diferentes”, completou.

Os nomes indicados pelo governo para o conselho são Nivio Ziviani, professor do departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e especialista em tecnologia da informação; João Cox, ex-presidente da Claro; e o almirante Eduardo Leal Ferreira, que assumirá a presidência do colegiado.