default-logo1
default-logo1
12
JUL
2019

Cresce procura por botijões de gás em tamanho menor

Posted By :
Comments : Off

Fonte: GAZ

Com o preço do gás GLP – utilizado para o consumo doméstico – nas alturas, consumidores santa-cruzenses têm optado pela compra em cascos menores. Os botijões de cinco e oito quilos começam a ocupar destaque nas revendas, pois caíram na simpatia de quem pilota o fogão. Ele custa menos que o botijão tradicional e, para quem não consome tanto gás assim por mês, pode ser uma alternativa de gastar menos por compra. Em Santa Cruz, três distribuidoras já comercializam o GLP nas versões de cinco e oito quilos.

Conforme a auxiliar administrativo Viviane Marques Rosa, da Gás Zimmer, do Bairro São João, a distribuidora trabalha com os botijões tradicionais – de dois e 13 quilos -, mas também oferece o de cinco quilos. “Ele sai bem mais em conta do que aquele menor, de dois quilos, e é muito mais seguro. O botijão de liquinho não tem válvula de segurança como os demais, portanto, não é indicado para o uso em fogões”, explica.

Viviane conta que consumidores que moram sozinhos, ou pessoas que optam por não prepararem as refeições em casa, escolhem o botijão de cinco quilos. “Ele também é mais leve para transportar. As pessoas também optam por esta praticidade”, acrescenta.

Segundo o empresário Elison Rosa da Silva, da distribuidora Ultragaz do Bairro Santo Inácio, a oferta de botijões de cinco quilos não é nova. Ele afirma que a procura pelo casco menor está associada também ao tamanho das residências e à disposição de móveis na cozinha. “Alguns consumidores montam suas cozinhas sob medida, já prevendo um espaço menor para o botijão. Esses compram a versão de cinco quilos”, destaca.

Economia 

Na comparação, o valor do gás que vem nos botijões de oito e cinco quilos não é mais barato do que nos tradicionais 13. Ainda assim, a aquisição deles pode ser vantajosa. De acordo com o professor de economia da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Silvio Arend, a compra de um botijão menor pode representar uma redução de custos dentro das despesas fixas mensais. A prática estaria indicada para consumidores ou famílias onde o botijão tradicional dura mais que 30 dias. “Nesses casos, ele tem a opção de pagar um pouco menos naquela compra, reduzindo a despesa fixa do período. É uma oportunidade de comprar um fração menor”, avalia.

O botijão de cinco quilos também é vantagem na comparação direta com o liquinho, de dois quilos. Enquanto o casco com dois quilos sai por R$ 32,00, e ainda nem é indicado para o uso em fogão doméstico, o botijão de cinco quilos custa, em média, de R$ 42,00 a R$ 52,00. No entanto, para o consumidor que tem uma demanda de uso maior de GLP, o mais indicado é o botijão tradicional, que acaba custando bem menos. Na faixa dos R$ 78,00, o botijão tradicional tem sete quilos a mais do que o de cinco.