default-logo1
default-logo1
27
SET
2019

Bosch e Ultragaz se tornam ‘startups’ para inovar

Posted By :
Comments : Off

Fonte: Época

Não existe um caminho único para inovação. A Ultragaz e a Bosch optaram por adotar o modelo de gestão das startups como estratégia para criar novas soluções. Executivos das duas empresas falaram sobre as vantagens de implementar uma gestão mais ágil durante o painel Inovação em Modelo de Negócio, realizado hoje (26/09) durante a Conferência ANPEI de Inovação 2019 – que vai até amanhã em Foz do Iguaçu (PR).

Bruno Bragazza, gerente de inovação, novos negócios e propriedade intelectual da Bosch na América Latina, contou que a empresa atua de duas formas: parcerias com startups e intraempreendedorismo. A Bosch já acelerou 12 novos negócios internamente, a maioria em áreas que nunca havia atuado, como agronegóciosaúdesegurança mineração. “Temos o objetivo ser a maior empresa de internet das coisas do mundo”, afirma. “Para isso, precisamos ser humildes e estar abertos a novas ideias.”

Ultragaz também aposta em parcerias com startups e universidades. Erik Trench Alcantara Santo, gerente de desenvolvimento empresarial da empresa, ressalta que, internamente, a companhia implementou a cultura Agile, comum em novos negócios – equipes menores e multidisciplinares focadas em um único projeto. “Se antes demorávamos três meses para desenvolver um produto, hoje conseguimos em cinco dias”, diz. Contribui para o suceso o uso de novas tecnologias, como impressoras 3D.

Da mesma maneira que a Bosch, a Ultragaz também está atuando em novas frentes. Recentemente, a empresa lançou, em parceria com o Posto Ipiranga, uma lavagem de carros à vapor. “Dessa maneira, conseguimos estar mais próximos dos clientes”, afirma Santo. “E eles veem valor na proposta.”

Não é fácil para grandes empresas agirem como startups. Bragazza conta que o grande desafio é a mudança para uma cultura que aceite o erro e não cobre resultados instantâneos. Das 12 startups criadas na empresa, apenas três conseguiram ir para o mercado – resultado comum no empreendedorismo, mas que seria considerado um fracasso no modelo tradicional de gestão.

“Muitos líderes ainda não entenderam que é preciso pensar como um fundo de venture capital”, afirma. “Cobram rendimento imediato de novos negócios. Não percebem que empresas como Uber Spotify são inovadoras, mesmo que não deem lucro.”

Quer receber as notícias de Época NEGÓCIOS pelo WhatsApp? Clique neste link, cadastre o número na lista de contatos e nos mande uma mensagem. Para cancelar, basta pedir.