default-logo1
default-logo1
07
OUT
2019

Segurança dos consumidores depende do uso adequado

Posted By :
Comments : Off

Fonte: www.clmais.com.br

Essencial em todas as residência, o botijão de gás liquefeito de petróleo (GLP) pode se, não observadas as regras de segurança, se tornar importante fator de incidentes domésticos. Medidas como armazenamento, manipulação e manutenção corretas podem reduzir o número de casos.

Para isso, o cuidado deve começar já na aquisição do botijão ou cilindro. Recipiente sem lacre ou sem marca visível (estampada em alto relevo no corpo do recipiente) deve ser recusado.

A compra deve ser feita somente em revendas autorizadas, com entregadores devidamente identificados. Além disso, ao receber o produto, o consumidor deve se certificar de que a marca estampada em alto relevo no recipiente é a mesma do lacre e da etiqueta (rótulo) de segurança.

A dona de casa Noemia Pereira Lemos segue a risca todas as recomendações. O seu botijão fica em um local longe da cozinha e ventilado e ela sabe de todos os riscos em caso de mau uso. “Uma das coisas que cuido é o botijão, pois tenho medo de acidentes e o recuso quando vem amassado”, explica. Hábitos que a moradora do Bairro Sagrado Coração de Jesus passou para os nove filhos.

“Na casa deles a manutenção é constante. Eles não relaxam. A mangueira venceu é trocada. Já substitui várias nesses anos”, afirma ela, que embora tenha medo de manusear o botijão, fica de olho quando é feita a troca para ter certeza que não há vazamento.        .

Os perigos do mau uso do botijão também preocupam o 5º Batalhão do Corpo de Bombeiro Militar de Lages. Pensando nisso, os militares realizam trabalhos para evitar acidentes. E o fazem por meio de conscientização e prevenção junto à população, embora os registros de explosão sejam quase zero, uma vez que, os vazamentos são mais recorrentes.

“Fazemos um trabalho anual na semana nacional do bombeiro. Realizamos a conscientização da população visitando as residências”, explica o assessor da corporação, soldado Rangel, lembrando que a ação se chama Alerta Vermelho e é desenvolvida em julho

Antes das visitas é feito um mapeamento, um levantamento estatístico de “calor” das ocorrências – locais onde mais ocorrem incêndios. Normalmente os casos acontecem nos bairros Santa Catarina, Morro Grande, Dom Daniel e Habitação. E é muito difícil o incêndio começar na cozinha.

No ano passado, em Lages, de janeiro a setembro foram 80 ocorrências de incêndios, enquanto que no mesmo período deste ano, foram 76 ocorrências, mostrando uma redução de 5%.

O fogo é geralmente causado por sobrecarga na rede elétrica, princípios de incêndio em fogões a lenha e outros.  As causas dos acidentes são apuradas em um informe pericial, que é objeto estatístico dos bombeiros.

Produto seguro

Correio Lageano consultou a Liquigás para verificar os processos que envolvem a distribuição de gás. A empresa informa que no processo de envase são utilizadas técnicas e equipamentos modernos para que o consumidor tenha um produto seguro. O botijão precisa ser fabricado segundo a norma NBR 8460 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os recipientes passam por um rigoroso programa de qualidade, incluindo testes e processos de requalificação.

Além disso, possuem um dispositivo de segurança chamado plugue fusível ou válvula de segurança que, em caso de aumento da pressão interna, expulsa o gás e impede que ocorram acidentes.

Dentre tantos cuidados, a distribuidora cita a instalação. Reguladores e mangueiras devem conter o símbolo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), o número da norma técnica de fabricação, além das datas de validade impressas em seu corpo (esses equipamentos têm prazo de cinco anos).

O uso de reguladores e mangueiras vencidas pode causar vazamento. Importante observar que para a fixação da mangueira no regulador e no fogão deve-se utilizar abraçadeiras. Após a instalação, é necessário verificar se há vazamento com um teste simples, que consiste em colocar espuma nas duas extremidades da mangueira.

Requalificação

Segundo o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), desde o início do programa, em 1996, até dezembro de 2017, foram requalificados 206 milhões de recipientes e 59 milhões de novos botijões foram adquiridos. Hoje, existem 117 milhões de vasilhames em circulação no Brasil e, a cada ano, 11,5 milhões de botijões são requalificados.

Dicas

Onde armazenar o recipiente

  • Coloque o recipiente sempre em locais ventilados, para facilitar a dispersão do gás em caso de vazamento;
  • Nunca armazene o botijão em compartimentos fechados (armários, gabinetes, vãos de escada, porões etc.);
  • Nunca coloque o botijão próximo a tomadas, interruptores e instalações elétricas (mantenha distância mínima de 1,50m);
  • Nunca instale o botijão próximo a ralos ou grelhas de escoamento de água (mantenha distância mínima de 1,50m). Por ser mais pesado que o ar, o gás pode se depositar nesses locais, em caso de vazamento. Assim, qualquer chama ou faísca poderá provocar um acidente;
  • De preferência, o botijão deve ficar do lado de fora da cozinha em local arejado, coberto e protegido das intempéries, desde que não fique confinado, podendo ficar em local fechado com grades que permitam a circulação do ar.

Troca do botijão

  • Antes de trocar o botijão, certifique-se de que todos os botões dos queimadores do fogão estejam desligados;
  • Nunca efetue a troca do botijão na presença de chamas, brasas, faíscas ou qualquer outra fonte de calor;
  • Nunca role o botijão. Transporte-o preferencialmente na posição vertical;
  • Retire o lacre de segurança do botijão levantando a própria aba do anel externo com a mão e gire-a no sentido anti-horário até o disco central sair completamente;
  • Retire o regulador de pressão do gás do botijão vazio e, em seguida, encaixe e rosqueie sobre a válvula do botijão cheio;
  • Use apenas as mãos. Não utilize ferramentas como martelo ou alicate;
  • Antes de trocar o botijão, examine sempre as condições da mangueira e do regulador de pressão de gás, verificando sempre o prazo de validade e as condições de conservação.

Instalações sem risco

  • Após instalar, faça o teste de vazamento, passando espuma de sabão ao redor da conexão da válvula de saída de gás e do regulador de pressão de gás;
  • Se surgirem bolhas, repita a operação de instalação. Se o vazamento continuar, desconecte o regulador de pressão de gás e verifique se existe vazamento na válvula;
  • Caso o vazamento continue, leve o botijão para um lugar ventilado, deixando o regulador de pressão de gás desconectado e chame a assistência técnica do seu fornecedor de gás;
  • Jamais passe a mangueira por trás do fogão. Se for necessário alterar a posição de entrada de gás, chame profissionais credenciados pelo fabricante do fogão;
  • Não instale o fogão onde há corrente de ar que possa apagar a chama e causar vazamento de gás.
  • Nunca vire ou deite o botijão. Se ainda existir algum resíduo de gás, ele poderá escoar na fase líquida, o que anula a função do regulador de pressão, podendo provocar graves acidentes, assim como entupir o regulador de pressão, a mangueira e os queimadores.