Fonte: epbr / Imagem: Distribuição

O contrato final (closing) entre a Petrobras e o Mubadala Capital para a transferência definitiva do controle da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, deve ocorrer nos próximos dias, informa a Coluna do Broadcast, do Estadão.

O Mubadala pretende investir na modernização e no aumento de eficiência da unidade para atingir seu potencial total de produção, hoje limitada pela Petrobras entre 60% e 70%. Com isso, a produção de combustíveis vai quase dobrar, passando de 190 mil barris diários para 323 mil b/d. A Petrobras se comprometeu a absorver todos os empregados que estiverem dispostos a sair da Bahia em outras operações da estatal. A expectativa é que os mais experientes aproveitem o Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI) da petroleira e continuem na unidade. A RLAM foi a primeira venda das oito refinarias incluídas no Termo de Cessação de Compromisso (TCC) assinado entre a Petrobras e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em 2019 para desinvestimentos no setor de refino. A unidade foi vendida para o Fundo Mubadala por US$ 1,65 bilhão

Leia a matéria direto da fonte, em: https://epbr.com.br/cnpe-retoma-debate-sobre-teor-de-biodiesel-para-2022-que-opoe-agentes-da-cadeia-produtiva/


Copyright © 2016 - Sindigas - www.sindigas.org.br — Todos os direitos reservados - Política de Privacidade